7 de mar de 2010

Lentamente a lágrima escorre
Gentil soneto na madrugada
Mas quão singela, ó dor velada
O puro e franco sal que morre...

Nenhum comentário:

Postar um comentário