14 de jan de 2011

Por onde será que andaremos, quando o medo tiver ido. Será que já está na hora de assumir que estamos juntos naquela promessa de final feliz?
Todo o ar que respiro será minha luz, quando me tornar só imagem.
Brindar os desencantos e enxugar o suor da testa. Ainda assim estaremos juntos na luz sobre a tela.

12 de jan de 2011

Ano Novo.


O vento assanhou a grama, o pelo do cachorro e as ondas do cabelo dela. Naquele instante, descobriu o que é eterno, como vibram as cores, e o cheiro morno que traz a manhã. Se janeirava um afeto...