24 de nov de 2011



Passou a noite admirando o rosa do ipê...umas vezes suspirou, outras sorriu... Uma pena não saber adivinhar pensamento!

22 de nov de 2011




é quando a gente imagina uma estrela cadente e faz um pedido...aí o ano novo chega e plantamos juntos os trevos na nossa janela.



Foto daqui:

18 de nov de 2011

A flecha atravessou-lhe o coração. Não, não foi a ação de algum Cupido idiota. Foi o piscar de olhos incrédulos e a despedida dos sorrisos. O rio nos inundou de lágrimas.

Agora dançarás na chuva.
Meu Anjo.

9 de nov de 2011



Os babados de sua saia eram os mais convidativos, naquela tarde de amarelo manso. O vento acariciava sua pele salgada e trazia um cheiro de magnitude. Não recusei seu abraço.

3 de nov de 2011

Era de uma beleza aristocrática, intangível. Seu mundo envolto em um escudo invisível fazia com que tivesse um poder sobre os outros. Poder que nem sonhava a dimensão e que no fundo nem queria. Se contentava em apenas ser, e ser vista.