4 de mai de 2012






A bússola que bate em meu peito rodopia incansável, feliz ! Meu mundo de pernas grandes e vestido rosa, viaja nos ventos... não segue seus passos, nariz. Norteia o sol , o dia e os meus desejos loucos de atriz...












16 de mar de 2012

é que ele não sabia escrever poesia...e se via diante do mundo sem saber dizê-lo. Amava..e isso bastava...
Foi então que percebeu que amava em paz...amava todo o seu lugar no abraço. Ao olhar para ela imaginava todas as poesias, e no instante seguinte  intuia que era pouco. Vê-la dormir era expandir o universo...e sonhar com o real que o dia traria. Coisas de quem vela um sono...e ama olhar acordado.

24 de fev de 2012

E de repente viu quão louco era...observar seu passado era o mesmo que se destruir, e ver tudo que de presente há nele, e ver que  não fazia parte dele. Era um ciúme doentio...quis apagar as fotos mas não tinha o direito... Desta vez passara dos limites. Abrir o e-mail dela para bisbilhotar. O que pensava encontrar?... De qualquer forma, viu as fotos. Fotos antigas de dias felizes.
Quis chorar. Chorar por não poder controlar a existência. Não entender o que é a existência. E que, na verdade, nada disto lhe dizia respeito...