29 de out de 2010

O amor é um engasgo
E a gente não sabe se engole ou se vomita...

24 de out de 2010

Vontade de me vestir de flor , sair na chuva pra me regar
Sentir o cheiro de terra molhada....

22 de out de 2010

Na minha terra quando um caba sai da linha acaba levando um mororó...

17 de out de 2010

Quando eu me tornar só imagens e lembranças...


Preciso de um sorriso leve e um coração de pluma... e sonhos de aço.
É que moro em prédio Tio...se eu parar de escrever vou ter que gritar, aí acorda as pessoas... é proibido. Só eu tenho que sentir a dor silenciosamente.
Tô com medo de parar Tio! É que quando a gente para, o coração segue mais rápido, e não deixa a gente descansar. Tô com medo do passo que ele quer dar...
Ah Tio! É que acabei de ganhar o caderno de desenho. Preciso descobrir os segredos de cada página. Só assim saberei que cores farão o meu dia...
-É que tem horas que não sei falar palavras tio! Só lágrimas. Estas e os sorrisos são os mais fáceis de se falar. Mas o que sinto precisa chover, e eu desaprendi a chuva diante do sol, o qual é maior. Dái o sufocamento do casamento da viúva.
É que ainda não tenho força na moela, não aprendi voar direito. Talvez quando todo o lago congelado que está dentro de mim chover...
É que a gente perde o sono quando percebe que o sonho do outro não lhe inclui...e você fica sem querer dormir sozinho... por que sabe que ainda continua sonhando junto, mas acorda separado.

13 de out de 2010


Eu tenho medo de dizer que te amo, e o som das palavras te prenderem dentro delas. Assim como a fotografia prendeu nossos sorrisos no passado. Só quero dar um passo se for pra frente...por isso a expectativa de futuro...