3 de nov de 2011

Era de uma beleza aristocrática, intangível. Seu mundo envolto em um escudo invisível fazia com que tivesse um poder sobre os outros. Poder que nem sonhava a dimensão e que no fundo nem queria. Se contentava em apenas ser, e ser vista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário